quinta-feira, março 16, 2006

IGNORÂNCIA...







Eles não sabem lua
Eles não sabem
Que o amor existe para lá do físico
Para lá do acto puro e simples
Eles não sabem lua…

Eles não sabem
Que o amor é vida
Para lá da eternidade
Ou antes da vida mesmo
Eles não sabem.

Eles não sabem Lua
Que andamos de roda um do outro como crianças
Logo,
Somos puros!
Eles não sabem isso Lua.

Eles não sabem como falamos
Porque falamos.
O que falamos.
Não sabem que as palavras deixam de ter som
Nós as sentimos no pensamento Lua
Eles não sabem

Eles não sabem que o amor existe
Num gesto
Num olhar
Um trocar de sorrisos
Ou uma festa na face duma criança que chora.

Eles não sabem
Que o amor perdura para além da vida
Para além da morte
Para além da eternidade
Para além da saudade
Para além da distancia
Para além da separação
Ou das pontes que nos separam…
Eles não sabem Lua

Eles não sabem do tempo que nós sabemos
O nosso tempo, sem tempo, horas, minutos ou segundos
Eles não sabem Lua.
Que o nosso tempo é de outros tempos
Tempo Lunar…
Eles não sabem…

Eles não sabem Lua
Como sarar a ausência
O medo
O frio
Como proteger do vento gélido glaciar que invade a alma
Eles não sabem Lua
Que temos uma alma
Imortal
Para lá do tempo
Das ciências exactas
Ou dos números primos.
Eles não sabem…

Eles não sabem que te amo hoje
Porque te amei ontem
Ante ontem
Antes de ante ontem
Antes de antes de ante ontem
Desde o principio.
Eles não sabem Lua
E eu não lhes digo…

Eles não sabem
Não lhes digo que te amo amanhã.
Depois de amanhã.
Depois de depois de amanhã.
Depois de depois de depois de amanhã…
Eles não sabem…

Eles não sabem Lua
Que o nosso amor tem cor
Colorido de branco
E é luz
Que imana do sol como astro.
Eles não sabem Lua
Porque são cegos à luz…
Eles não sabem…

Não sabem que andamos de roda um do outro
Em curvas elípticas exactas
Que são as curvas da vida
Em linhas paralelas.
Nunca se tocam.
Eles não sabem do nosso dilema Lua…
Este é um segredo por revelar…
Como são os segredos das montanhas lunares
Ou as fossas abissais do mar profundo.
Eles não sabem lua

Eles não sabem nem sonham
Porque não sabem sonhar
Porque não sabem amar
Porque não sabem ser puros
Porque não sabem ser crianças
Porque não sabem escutar
O brilho da Lua
Ou o murmúrio do Mar.

Eles não sabem
Não!
Definitivamente eles não sabem
Que o Mar e a Lua
A Lua e o Mar
São eternos amantes…
Eles não sabem Lua
E eu não lhes quero dizer…


João marinheiro ausente 15/03/06

Fotografia de Barcoantigo

3 comentários:

OrCa disse...

Retribuindo visitas, passo perto da elipse da Lua, e lanço uma saudação de maresia... Cansaço não será, mas um abraço na partilha orbital da poesia.

Arthur Saraiva disse...

"O mal da ignorância é que vai adquirindo confiança à medida que se prolonga." O amor é, uma emoção que aparece na nossa vida, às vezes, calmo outras vezes de uma maneira repentina e que se vai sedimentando num sentimento forte ou não. Gostei de ler este teu texto. "Realmente eles não sabem..."

Ana Luar disse...

Tens razão mar, eles não sabem...........mas podemos ensinar-lhes!