sexta-feira, março 10, 2006

DEMORAS A CHEGAR…

Não sei se queres uma conquista
Ou represento uma noite mágica…
Chego e parto assim com o coração cheio de amor
Mas incompleto. Tanto na vinda como na ida
Porque sou assim espécie em bruto de amante ou amado
E hoje estou aqui ao sol…
Retemperando as forças ou pensando
Em ti e como te desejo, ou te amo, ou sinto a tua falta.
Do teu olhar. Do perfume que emana de teu corpo.
Espero que venhas. Espero e olho o mar…
Espero que venhas com o vento do norte
E o som dos grilos cantando
Ou o perfume das flores silvestres nos campos em odores múltiplos.

Fecho os olhos. Medito, penso. Penso em ti! Escuto a tua musica…
O sol quente doira meu corpo, deixo-me estar assim…Quieto.
Demoras a chegar. Demoras e não sei se vens.

Não sei se me queres
Ou isso não é importante.
Queres porque queres, e isso para ti basta.
E eu assim impotente na duvida,
Não sei se ame na partida ou ame na vinda
Ou seja uma noite ou uma conquista ou as duas coisas…
Ou os dois ficamos rendidos ao desejo pelo olhar
E os nossos corpos se excitam quando nos beijamos
E te sinto tremer assim de mansinho levemente…
Como, levemente me roubas um beijo,
E eu o deixo ir por entre os lábios. Então sorrio e quero mais.
Não sei se me queres…
Mas continuo aqui, neste lugar esperando e desejando que venhas.
Demoras a chegar. Demoras e não sei se vens…

João marinheiro ausente Praia de Fornelos, 11/05/03

1 comentário:

Ana Luar disse...

Sabes mar...existem palavras que erguem pontes, espraiam-se e parem novos horizontes, constroem viadutos e novos caminhos
Ainda que para nossa supresa
não sabemos levá-las a lugar algum. Saõ palavras bailarinas mar, que nos falam na ponta dos pés, como se fitassem nossos precipícios num tempo infinitamente breve
Em que a vida se escreve.
Acho que me entendes mar...........