domingo, junho 03, 2007

Um dia...



Um dia
Quando descalça possas poisar os teus pés nos milhares de grãos da areia húmida
Lá na minha praia das memórias no cabo do mundo
E os teus olhos encontrarem a concha
O beijo/desejo/sonho
Distante, por ser proibido
E recordes o dia breve em que te ofereci um
Vais lembrar deste marinheiro que partiu
Ausente já.
João marinheiro 2007
Fotografia Barcoantigo

4 comentários:

Menina dos olhos de água disse...

São tão tristes as partidas. E os desencontros.

Um beijinho.

mar... disse...

Poeta...
Se fosse possível, roubaria uma apenas!
Talvez a menor... a mais insignificante aos olhos de quem nunca as vê!
Lindo e sentido este Post
Um abraço.

Maria disse...

Gosto destes búzios minúsculos, só se encontram nalgumas praias...
Sabes, as ausências presentes e as partidas ficadas são cada vez mais intensas e ao mesmo tempo difíceis...
... como difícil é, às vezes, acordar e enfrentar o novo dia...

Um abraço

tb disse...

Ternurento, como tu!
beijo meu