domingo, junho 25, 2006

Chegado a este ponto do caminho esta estrada virtual, dou-me conta do esforço tremendo, sinto-me demasiado cansado, desfalecido mesmo, ou ausente de memórias que tive. Assim fica a duvida? - Enterro hoje o poeta moribundo ou liberto o homem que coabita por entre os ferros da grade prisão? Não obtenho a resposta nem as palavras são o que eu pensava que eram, simples palavras.
Neste tempo do tempo que tenho, o tempo que resta, fiz amizades, conheci pessoas grandes, algumas bem pequenas, essas esqueci. Arranjei inimigos, ficou a impressão ou o travo amargo na boca. Não sei, nem perco tempo do pouco que tenho a pensar.
Pensar, escrever, no momento é um sacrificio. Não gosto de me sacrificar.
Hoje parto. Estou a mudar muitas coisas em mim quando a mudança ficar completa fecho os olhos e vou...
Vou agora porque me sinto cansado. Ficam as palavras porque essas são livres...
Abraço aos mareantes virtuais...

19 comentários:

tb disse...

A liberdade do homem reside nas suas escolhas, mesmo quando estas nos deixam algo que nos causa saudade...
Abraços até...

Ana Luar disse...

Na sombra negra do fundo do teu blog, alguns textos bem explicitos, tornaram-se ilegíveis à minha humilde pessoa. Talvez porque nos dês a conhecer muitas vezes um homem que "eu sei" que não és... no entanto a meu ver isso só faz de ti uma pessoa mais humana... consciente dos teus cansaços... e dos teus limites. Gosto de ti mar... e nesse mundo virtual... acredito não estar incluida... pk sei o sabor do teu abraço... e conheço a cor dos teus olhos... sei exactamente o tom da da voz... e a imensidão do teu carinho... para onde fores a minha amizade vai junto... tu sabes! E a amizade jamais será algo meramente virtual... Estarei sempre do lado de cá do abraço. Beijo-te carinhosamente!

Anónimo disse...

Espera!...

Há muito que venho lendo os teus textos, não sei se alguma vez comentei, o tempo é curto.
Mas agora que dizes deixar-nos provocas já um trago amrgo, fazes parte daquele espaço virtual que se tornou mais do que real, obrigatório.
Respeito a tua decisão, mas lanço-te um convite: visita tu o meu humilde canto.

João Norte.
intro.vertido.weblog.com.pt.
Felicidade.

joão marinheiro disse...

Olá João Norte, coincidência de nomes. N consigo aceder ao endereço q indicas, teria muito gosto em visitar.
Abraço.
joão marinheiro

jacky disse...

Volta em breve :)

Anónimo disse...

http://intro.vertido.weblog.com.pt/

Claudia disse...

É bom saber que vais mas que ficas comigo. É bom saber que partes mas que fico contigo.
A partir de hoje João, gosto ainda mais de ti. Ao contrário do que possas ter pensado. E não é preciso pedir, as minhas palavras serão sempre as mesmas para ti. Afinal, tudo começa agora. A nossa história começou hoje.
Sei que partes. Sei que estás cansado. Mas sei que o homem vai ser mais livre, vai crescer... E sei que te vou acompanhar e que vou crescer contigo, com as tuas palavras, com as nossas palavras partilhadas.
Talvez João, tenha sido para isso que eu vim. Talvez tenha sido para isso que vieste.
Por isso, vou continuar no meu banco de jardim, com o meu livro que já é teu também, à espera que os teus olhos encontrem os meus!
E aí,
"Dar-te-ei a mão e vamos os dois
Pisar a relva húmida da manhã."

Beijo enquanto te agradeço por me teres encontrado...

P.S. "Se tu
Não partires agora
Porque te peço
Para que fiques"

cinza disse...

É sempre bom fazermos um ponto de situação num ou noutro momento da nossa vida... mas ela é assim como o mar turbulenta, com altos e baixos eunca vi nenhum marinheiro a abandonar o barco só porque olha atrás e vê tempestades... Há que marear rumo à luz ora dada pelo farol ora por qualquer outro dos cinco sentidos, o sexto é reservado às palavras que soltas ciando o barco para uma outra dimensão...

Vanda Baltazar disse...

LobodoMar...Seguirás tu os sinais?

Promete, não troques os pontos cardeais!

Terás cuidado com a vazante?

Que os ventos aliseos te aqueçam sempre nas noites que irremediavelmente sentires saudade...

Que os albatrozes, gaivotas e outras aves de arribação te acordem todas as manhãs num hino à vida...

...e que o sol e a lua, um dia ainda se cruzem uma vez mais, nas tuas mãos, só para te maravilhar :))

Boa viagem.

um beijo

Van

Mendes Ferreira disse...

abraço. mt mt forte.


MESMO.


e obrigada....

por tudo o que me deu....que é mt.

mar_e_sol disse...

Venho retribuir a tua visita, deparo-me com um canto cheio de sensibilidade e com um virar de uma nova página. Pena que tenha chegado só agora, mas ainda por aqui andarei para ler o que ainda não li.
Felicidades!...

mariagomes disse...

Um abraço amigo (com fulgor!)

mariagomes

Mendes Ferreira disse...

e livremente te espero....em cada onda.....mesmo que demore a chegar à praia...


beijo.


obreigada. por tudo.

A. disse...

volto hoje e entendo que vais.
...espero por ti João.que sejas breve.que sejas paz.

beijos.

APC disse...

Partes já, João?

Levar-te-á a monção?

Levarás que emoção?

Tantos ventos soprarão...

***

(Aguardamos-te, então!;-)

A. disse...

...és tu que vais nesse barco antigo joão?

Miriam5 disse...

Aceito a partida e espero que nos voltemos a encontrar noutros portos.
Um beijinho

Poesia Portuguesa disse...

Marinheiro que partistes para outras águas... espero que sejam azuis da cor do céu e que nele esvoacem, pássaros em liberdade…porque...


Todas as pessoas são pássaros livres
o segredo é não se deixar prender
voar rasteiro por sobre as estrelas
é a melhor forma de se viver.

Cantar para aquele que quer ouvir
contar para aquele que quer saber
a sensação de estar liberto
a melhor forma de ter prazer.

E quando encontra a pessoa amada
não sabe o que há-de dizer
rir, chorar e descobrir a custo
a melhor forma de se querer.

E se a tristeza lhe bate á porta
muito há a fazer,
limpe as lágrimas, abra o seu coração
e deixe o amor vencer...


Um abraço e, espero que volte um dia.... breve!

;)

rouxinol de Bernardim disse...

Poesia Portuguesa!!!

Cinco estrelas brilhando no firmamento da cultura!

As palavras são livres?

A dúvida persiste em mim...