terça-feira, junho 20, 2006

ACREDITAR...

Futebol…
Estádios milionários…
A bandeira a esmo sem respeito pelo chão
Os políticos assistem
E o povo aplaude de pé

Neste intervalo
As crianças por nascer morrem nas ambulâncias...…

11 comentários:

Ana Luar disse...

Acho que seria melhor fazermos uma pergunta em vez de colocarmos uma questão...
pergunto-me: Que estou eu a fazer para que menos uma criança passe fome?

A critica é tão mais fácil no acalmar da nossa consciência... quando a meio aos nosso devaneios nada fazemos e ficamos impávidos e serenos na frente de um monitor de forma egoista enquanto milhões de pessoas passam fome, enquanto milhões de crianças morrem por agressão, enquanto pessoas não tem nem um cobertor para se tapar...
e na maioria das vezes oiço dizer... mas que posso eu fazer? Eu não tenho poder nenhum!
E eu digo: temos sim... temos o poder e o dever de agir... e se por um lado não matamos a fome ao mundo inteiro então matamos a fome de quem vive a portas coladas connosco.


Por isso meu querido amigo que moral temos nós para criticar politicos (que nós elegemos)... amantes de futebol(que nós criamos)... sei lá eu quem mais...quando nós acomodamos os nossos rabos flácidos e gordos ... "ou não"... em belas cadeiras e decidimos que esta será mais uma noite!
Quando para muitos esta será a "ultima noite".

Sejamos realistas pk a "vida não é apenas um jogo de palavras".

Gosto de ti meu querido amigo... mas gosto de ti consciente das tuas (nossas... "povo")obrigações.

joão marinheiro disse...

Minha querida amiga, não gosto de futebol, é ponto assente.Não me revejo nesta fornada de politiqueiros q para ai andam...E isto não é uma critica é uma constatação. Uns sentem mais que outros por isso agem da maneira que agem, e por isso acho o teu comentário desenquadrado do meu comentário, afinal eu como tu que trabalhamos, alimentamos a máquina que nos suga...
Abraço com mar e tudo...

Ana Luar disse...

Vou responder-te no msn ...pk não acho que o blog seja uma sala de chat onde se discutam assuntos... tenham eles o teor que tiverem... mas verás depois que não está assim tão desenquadrado. Beijo e abracinho daqueles que gosto de te dar.

Luiz Carlos Reis disse...

É importante levantar assuntos do gênero. Vivemos numa imensa arena romana, regadas à pão e vinho, sujeira e corrupção andam escusas nesse cenário de espetáculos!
Abraços!

an ordinary girl disse...

Não te conheço, mas gostei de ti neste post!

doladodomar disse...

subscrevo o post. subscrevo o comentário teu para a Ana. e ponto.

tudo perfeio. como sempre. por aqui.


abraço.

(ah...sou o Piano....:))))

Claudia disse...

É engraçado João...Tantas coincidências, tantos gostos similares, mas aqui não. Não consigo subscrever nenhuma das tuas palavras. (mas já o posso fazer relativamente às da Ana). Peremptoriamente, não concordo contigo.
Gosto de futebol, é certo, sempre gostei. Isso é ponto assente. Gosto de política. Isso também é ponto assente.
Contudo, isso não significa q concorde com as construçoes ( que sim, são desfazadas da nossa realidade!), dos nossos estádios. Com muitos dos nossos políticos e com a própria política em si.
Mas tentar interligar futebol/política ao encerramento das maternidades (concorde-se ou não), é pura demagogia...
Um país como cada um de nós tem que se desenvolvr em variadas áreas. Assim sendo, a cultura por ex., ficaria para trás, pois não se pode investir dinheiro em teatros, programas de leitura que tanta falta fazem ao nosso país que vive numa iliteracia agoniante, enquanto morrem crianças numa ambulância!
Volto a dizer, é pura demagogia!
E a nossa responsabilidade social? É de cada um de nós! Porque elegemos (quem o faz! porque muitos vêm o voto como um direito e não como um dever, nem o exercendo, apenas criticando)e porque nada fazemos na nosso quotidiano. porque é sempre mais fácil criticar do que agir.
Não deixes que a desilusão te faça cair na resignação e pior na crítica pela crítica.

A realidade não são meras palavras, são actos, teus, meus, nossos...De todos nós.
A demagogia apenas enfraquece a democracia (de si já tão frágil).

Beijo enquanto resisto à tentação de te ligar

P.S. Boa viagem. Desculpa não ter respondido, mas não fui a tempo

Meu diario Lurdes disse...

Olá quanto tempo!!! Como vai as coisas? Peço desculpas do meu sumir mas ouve uns problemas.
E por meu azar ainda posso sumir por mais um tempo, meu pc tera que mudar uma placa.
Parabéns o blog se encontra lindo.
Beijos Lurdes

Claudia disse...

Querido João,
( não é que soa bem!)
Hoje, aqui, deixo-te este poema de Maria do Rosário Pedreira. Acho que nunca falamos dela. Mas também, temos tanto ainda que falar!

"Não tenhas medo do amor. Pousa a tua mão
devagar sobre o peito da terra e sente respirar
no seu seio os nomes das coisas que ali estão a
crescer: o linho e genciana; as ervilhas-de-cheiro
e as campainhas azuis; a menta perfumada para
as infusões do verão e a teia de raízes de um
pequeno loureiro que se organiza como uma rede
de veias na confusão de um corpo. A vida nunca
foi só Inverno, nunca foi só bruma e desamparo.
Se bem que chova ainda, não te importes: pousa a
tua mão devagar sobre o teu peito e ouve o clamor
da tempestade que faz ruir os muros: explode no
teu coração um amor-perfeito, será doce o seu
pólen na corola de um beijo, não tenhas medo,
hão-de pedir-to quando chegar a primavera"

Também eu te digo.
Não tenhas medo.
E não digo nada mais, para não acontecer como de costume!!!

Beijo enquanto te espero deste lado

Vanda Baltazar disse...

esquecidas as rotas das especiarias resta ao povo as rotas futebolisticas...

tb disse...

sabes, João
já tinha por aqui passado, mas vi tanta coisa qe me calei. Quero dizer-te hoje que estou mais do que de acordo contigo nestas pequenas/grandes linhas que escreveste. Será porque partilhamos ideiais, ou apenas porque gosto de escrever em linhas?!
Beijos sem intervalos...