sexta-feira, janeiro 26, 2007

Ontem à noite…



Ontem andei pela Póvoa. A cidade da minha juventude. Fazia anos que não andava nas ruas da Póvoa. Fartei-me de deambular. Entrei na minha escola secundária. Será sempre a minha escola. Cada degrau, cada corredor, cada corrimão de escada, onde um dia toquei, são um pouco meus, uma extensão sempre. Para sempre.
A Póvoa cresceu, está diferente. Mais moderna. Embora eu gostasse da Póvoa antiga. A Póvoa como guardo na memória. Fartei-me de andar durante horas, até me sentir gelado na cara. Fazia frio. Um frio seco. Gosto do tempo assim frio e seco. Gosto de descobrir as ruas desertas à noite. Gosto de olhar as sombras projectadas pela luz amarela. Gosto de ver a penumbra e o silêncio longo nas ruas.
Liguei-te sabes. Claro que sabes. Mas claro que sabes. Queria dizer-te que encontrei o tal livro. O livro da andorinha e do gato. A história que me contaste. Lembras?
Não sei se lembras. Afinal não te disse do tal livro. Acho que me enganei no número marcado. Desculpa. Não é importante este detalhe. É que me lembrei de ti. O resto são memórias da Póvoa numa noite fria como eu gosto para passear.
A Póvoa cresceu, está moderna.
Muito brilho, muita luz.
Às vezes ao virar uma esquina fui surpreendido pela luz. Parece a cidade luz e não é. Demasiada luz. Demasiado brilho. Demasiado inox. Tu sabes que eu sou antigo, mas não sabes que gosto das cidades em pedra e ferro forjado. Das cidades com sombras. Do chilrear dos pássaros nas árvores. Gosto de ver as estrelas enquanto caminho e não as vejo. Muita luz. Muita luz e um marinheiro assim desnorteia. Tu sabes. Um marinheiro sem rumo é como um homem bêbado, cambaleando.
As estrelas são importantes. As estrelas no céu.
Tu sabes não sabes?
joão marinheiro 2007
Fotografia de Barcoantigo

4 comentários:

Morgaine disse...

Ela sabe e eu também sei. Sei como é importante termos um rumo a partir do passado para que as coisas tenham sentido hoje.
Bjs

Su disse...

sei....sim....


jocas maradas de estrelas

mar... disse...

Não poeta... eu não sei
E talvez nunca conseguiria saber!
Somente teu coração consegue agigantar tamanho sentir...
Meu coração consegue apenas senti-lo nas palavras...
Que confundem-me em minhas
próprias emoções!

Anónimo disse...

Como te entendo!!
só.. ..!!!no meio da multidão....