segunda-feira, novembro 13, 2006


…Por um instante dei-me conta que todas as palavras não chegam para dizer que te amo. E que eu não sei já que palavras usar. Estremeço quando te olho. Quando acordas. Quando me sorris pela manhã. És o meu amor proibido hoje. Vejo-te mas não te toco. Desejo-te mas não te tenho. Escrevo-te e não lês. Foste o meu amor proibido ontem. E com certeza vais ser o meu amor proibido amanhã. E agora já não sei que mais fazer ou dizer-te para que percebas de uma vez por todas que eu sou teu e tu és minha, e que os dois nos completamos, somos felizes. E que sem ti por perto de mim me sinto só, e que eu só sem ti continuo a ser só, e estou farto de te dizer repetidamente que para amar temos de ser os dois, e somos. Mas tu! Tu não sei se me amas, e fico aflito, como se tivesse acordado numa cidade grande, cinzenta, escura, sem gente, quer dizer com pouca gente, mas que não dá por mim, porque eu é que sou o estranho ali, e nem sequer falo inglês, porque a língua deles é essa, e é também a língua que tu falas agora. Por isso com toda a certeza, já não lês o que te escrevo por a minha língua não ser uma língua na moda, mas não me importo e já não tenho cabeça para aprender essa língua nova que falas, prefiro ficar a olhar-te, e se te olho não preciso de falar contigo, porque tu tens uns olhos do tamanho do mundo. Assim tens de ver o que os meus dizem e os meus olhos são como duas montras em época de saldos com dois letreiros grandes escritos a letras maiores ainda, e não dizem saldos, dizem AMO-TE e se não conseguires ler desta vez, então definitivamente é porque já não tenho palavras para te dizer o que sinto, e então desisto ou vou aprender a falar inglês…
Este texto foi publicado originalmente no blog: http://porquexistes.blogspot.com
Fotografia: www.olhares.com

8 comentários:

Morgaine disse...

eu ja tinha lido isto mas nao conseguia comentar porque tinhas aquilo só na opção blogger. Ainda bem que trouxeste para aqui. Porque está sublime.
Talvez nem sejq preciso aprenderes a falar inglês. Talvez os olhares, os gestos, as acçoes bastem para ela entender o teu AMO-TE.

bjs

tb disse...

e já tinha comentado...
abraço

cinza disse...

Senhor marinheiro e o livro? Quando sai esse livro?

A. disse...

...sempre bonito.comovente.triste.
João,amigo assim.






um beijo.
Lindas as coisas que vais escrevendo...que vais sentindo.

APC disse...

Acho que já disseste "Amo-te" em todas as línguas, ao correr do tempo e da tua pena que tem alma própria e fala por ti. E este blog, é o "letreiro" do amor que ela escreve. Em inglês seria sempre tão pouco, porque não terias como dizer da SAUDADE com que acompanhas esse AMOR.
Um abraço! :-)

© Piedade Araújo Sol disse...

Belo!!!

merlin disse...

Muito bem escrito, gostei e vou voltar.
Um abraço

Viola De Lesseps disse...

ufaaaaa...sem palavras...ainda estou maravilhada!!!
Bendita a hora que encontrei este teu 'mundo'. Voltarei com certeza! =)

Um beijo grande

Viola L.
xx