quarta-feira, julho 04, 2007

Será importante saberes…


Hoje sentaste-te na minha frente a jantar. A mesa redonda em demasia. O restaurante demasiado grande. Já não conseguimos estar sós. Até a cidade é demasiado grande.
Disseste-me de fugida que não devia olhar para ti. Que é perigoso o meu olhar em ti. Que os teus amigos dão por isso. Que não queres.
Porque me ensinaste a olhar de olhos nos olhos se durante anos e anos não o conseguia fazer. Imaginas o esforço que fiz. Para todos os lugares que olhava era o teu olhar que me olhava. Como consegues entrar assim dentro do meu sentir.
E agora que faço?
Finjo que não se passa nada?
Finjo que não sei quem és?
Que não me conheces?
Que não te conheço?
Que fizemos ao amor que temos tanto dentro de nós para partilhar.
-Tenho saudades tuas.
De te dar a mão e caminhar na longa praia de areia quente. De molhar os pés contigo na agua morna. De te dizer das nuvens que estão ao longe. Ensinar-te que são nuvens de nevoeiro que chegam devagarinho pelo entardecer, e das outras cinzentas como farrapos no céu, nuvens de chuva anunciada neste verão que parece um Outono. Falar-te das ondas, dos ventos, das andorinhas do mar e das gaivotas que voam de encontro ao sol vencendo o vento norte que sentimos na face. Dos barcos. Falar-te dos barcos que gosto. Ontem enquanto os barcos partiam iluminados na noite rumo ao mar e eu te dizia que eram barcos modernos do arrasto despedias-te de mim. Ainda me perguntas porque estava estranho eu.
-Tenho saudades tuas.
De te enlaçar em mim. De te abraçar e levantar e rodopiar na areia enquanto os teus cabelos se colam na minha barba. De me deixar cair na areia quente abraçado a ti. De te sentir. De sentir os teus lábios quentes em mim enquanto me beijas com a sofreguidão da primeira vez. Sentes como estremeço por dentro.
- Tenho saudades tuas.
Saudades das tuas mãos. Saudade da cor das tuas unhas. Saudade do teu cheiro em mim.
Saudades dos teus olhos negros que me fascinam.
Ontem pela madrugada despedias-te de mim, e eu fiquei sem conseguir falar-te. Acho que parti num dos barcos que rumavam ao mar…
Será importante saberes que em todos os lugares que vejo é o teu olhar que me olha. Será?


João 2007
Fotografia Piotr Walski

14 comentários:

mar... disse...

Na simplicidadade do teu coração...
Queira-me apenas.

Não chamo-me Loucura
Medo
Sonho
ou
Iilusão

Estou tão e apenas na simplicidadede do teu coração

O abraço, sempre e sempre.

APC disse...

"Disseste-me que não devia olhar para ti. Que não queres. (...)
Será importante saberes que em todos os lugares que vejo é o teu olhar que me olha?"
Amar é mesmo isso, a certo ponto: um punhado de questões insolúveis que chegam a ser uma!
Boas navegações, marinheiro amigo, coração de mar. E um grande abraço! :-)

Maria disse...

É importante sim, João. Sempre. Diz-lhe, sempre.
O amor é assim, feito de tantas saudades...

Um abraço, marinheiro

joão marinheiro disse...

Mar.
Obrigado pelo teu abraço hoje. É bom sentir o teu abraço.
Beijo daqui onde o mar é azul profundo e a torre de Hercules vigia a navegação.

APC.
Sabes que tenho saudades tuas. Das nossas breves/grandes/importantes conversas. Das questões sem resposta tantas vezes partilhadas.

Abraço com o coração cheio de velas e de ventos e de mar...

Maria

Obrigado pela tua explicação. Confesso-te que por vezes nem sei para que escrevo. A escrita torna-se um exercicio doloroso nos sentires.
Acho que já vale a pena dizer-lhe, ligar-lhe, escrever-lhe.
Sabes, por vezes não invento as histórias.Sou eu que me invento para sair delas...

Obrigado pela partilha.

maria carvalhosa disse...

Bonito texto, João. Eu imagino que seja muito mais do que isso para ti mas, na minha cómoda posição de leitora, gosto, particularmente, da escrita dos dois primeiros parágrafos. Desde "Hoje" até "Que não queres". Por mim, podias ter ficado por aqui. Tanto me bastava para ficar rendida às tuas palavras.

Um beijo.

Anónimo disse...

Lindo!

Maria Clarinda disse...

Jo�o, entendi e vivi cada paklavra tua.
Lindo o teu post e doloroso tamb�m.
Um jinho. Navega sempre Amigo.

tb disse...

Muito lindo, João!
Boas viagens e que os bons ventos te tragam de novo a bom porto...
Abraços

A. disse...

...tenho estado a ler. atenta.




alguém dizia que saía daqui amachucadinha...pois, é assim.mesmo assim.



um beijo.

M. disse...

Muito bonito.

Desespero-me disse...

Tenho saudades tuas.
Saudades das tuas mãos.
Sentes como estremeço por dentro?
- Tenho saudades tuas.



morro de saudades tuas!

Umabel disse...

Estou fascinada com os teus blogs... da apetite de fazer como fazia em pequena... aninhar num cantinho escondido e ler tudo até ao fim...

Anónimo disse...

Saudades existem e ás vezes muitas... vontade de tocar, abraçar, sentir ou simplesmente olhar.... mas ter asas, sem ser pássaro e querer voar... está em mim, está em todos nós...

Bruxinha disse...

"Saudades existem e ás vezes muitas... vontade de tocar, abraçar, sentir ou simplesmente olhar.... mas ter asas, sem ser pássaro e querer voar... está em mim, está em todos nós..." ser anónimo...