sexta-feira, julho 20, 2007

hoje...


Hoje almoço sozinho. As minhas pernas procuram instintivamente as tuas, os teus pés. Encontro as pernas de aço da mesa. Estendo as mãos, amarfanho a toalha de papel. Ajeito o teu prato acerto os teus talheres. Dobro de novo o teu guardanapo. Na mesa em frente deitam-me um olhar de espanto, comentam sorrindo baixinho. - O gajo é doido, está a falar sozinho.

Eu sei que sou doido. Que fico doido. Que endoideço. Mas hoje almoço sozinho e o ritual é o mesmo, só o teu olhar não…


João 2007
Fotografia de May Garcia

7 comentários:

marta disse...

A agonia da "solidão"...
Uau... acho que vou passar a ser mais assídua por aqui!

firmina12 disse...

simplesmente delirante

mar... disse...

Um horizonte de solidão e saudades...
É sempre muito triste!
Um abraço terno Poeta

lamia disse...

A foto e as palavras fizeram-me lembrar a morte por acontecer de um dos membros de um casal com mais de 50 anos de vida em comum. Há amores eternos, sim, quando a eternidade é a da vida.

tb disse...

:)

Maria disse...

Quantas vezes fiz o mesmo ritual, quanto tempo mantive o prato e o copo e a escova de dentes e tudo o resto no mesmo sítio....

Um abraço forte

Alexandra disse...

As tuas pernas a procurarem instintivamente as dela, e os pés.

que delicia :)