terça-feira, dezembro 25, 2012

Da nossa memória...

 

As heras cobrem lentamente as paredes escondendo as pedras. Os degraus pendem alquebrados, já não sentem o pisar dos pés das crianças, só o peso do tempo os sobrecarrega e desequilibra.

Da memória sobram ruinas em pedra. O musgo verde do tempo e um vazio inexplicável.
Resta-nos o silêncio. Por vezes o chilrear dos pássaros misturados com o som da água que escorre pelas fragas da serra.
 
 


São Paio de Antas 25 Dezembro 2012
Fotografias de Barcoantigo 2012

6 comentários:

jawaa disse...


Obrigada pelo comentário inusitado.
Cinco anos é muito tempo...«envelheci, como os barcos», também eu, agora septuagenária.
Ainda navego, mais junto à costa, e se o vento não se mostra de feição prefiro ficar na doca.
Venho desejar Bom Natal.
Hei-de voltar, quem sabe deixar pegada. Feliz novo ano!

carmen disse...

...«envelheci, como os barcos»

Amei sua publicaçao...também eu, querido amigo e poeta ..... beijos

M. disse...

Aqui, sempre, a beleza das coisas.
Muito obrigada pela visita ao PPP.
Um bom ano para ti.

© Piedade Araújo Sol disse...

e aqui estamos nós.

beijo

Moonlight disse...

Olá!
Foi muito bom poder de novo ler e sentir as suas palavras fabulosas.Sempre gostei da maneira como escreve,com o coração.
Um Bom Ano Novo.Que a magia deste tempo possa atribuir.lhe tudo o que mais deseja.

Um bjinho cheio de luar

Borboleta com Asas disse...

Borboletas também sentem saudades?