sábado, abril 03, 2010

alto mar...

...Já não sei se são saudades. Se os imagino ainda. Se as minhas mãos alguma vez tocaram a tua pele, a cintura fina e leve tua.
Não deve ser nada
Só imaginação minha este sal na boca
Este murmúrio do mar, o argaço frio que me enleia as pernas.
Não podem ser saudades
Nunca existiram os teus beijos, só os meus alquebrados nas tábuas do convés, baldeados borda fora enquanto dois arroazes brincam na proa do barco. Estarão felizes?

4 comentários:

Beatrice disse...

saudades de ler!

boa Páscoa

© Piedade Araújo Sol disse...

não podem ser saudades...

claro que são!

uma boa prosa poética, como sempre.

páscoa feliz com ou sem barco.

beij

Maria disse...

Desci a costa desde Marinha Grande a olhar a ilha. Pequena primeiro, difusa a seguir, depois mais nítida e por aí abaixo até ficar com ela em frente. No Cabo. Fiquei a vê-la até escurecer. A senti-la. A beijá-la, quase. São saudades...

Um abraço.

Crystal disse...

Também não sei se são saudades ou se apenas imaginação...sei que há algo se entranha na alma e nos dói no corpo. Algo que nos lembra sermos alguém com passado. Algo que faz de nós aquilo que somos hoje.E sim, se brincam estão felizes, nem que seja apenas por uns momentos. É o que acontece com todos...

Beijo doce em ti, para apaziguar o sal