sábado, abril 25, 2009

abril...

abril

25

tomo a liberdade nas mãos
e armado de papel e pena
escrevo-te
espécie de libertação
fingimento de revolução a dizer-te da saudade tua que sinto hoje
e dos cravos vermelhos que oferecemos um dia um ao outro
enquanto a rua se enchia de gritos e bandeiras e gente e revolução

era em Abril

25

era eu
eras tu
e o Rossio ainda sem Pessoa imortalizado no bronze

é Abril ainda

25

e o coração deserto…



João marinheiro 25 Abril 2009

2 comentários:

Maria disse...

As ruas voltaram a encher-se de gente e cravos e bandeiras e gritos
só não houve
outra revolução
e o coração continua
também
deserto.

Um beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

uma boa homenagem a Abril.

o coração precisa de despertar.

fica um beij