quinta-feira, dezembro 13, 2007

A falta que me fazes...



Está um frio imenso e dói-me a cabeça e o corpo e eu continuo aqui na velha sala minúscula que me parece demasiado grande sem ti e está frio cá dentro e lá fora e eu neste domingo em que me apeteciam as tuas mão nas minhas tão cansadas a tua voz na minha voz tão rouca de te falar baixinho ao ouvido as tuas palavras nos meus ouvidos tão exaustos os teus olhos nos meus olhos tão secos dos ventos e das maresias salgadas fico aqui a alimentar-me de saudades e destas pequenas bolachas salpicadas de chocolate porque eu sei que gostavas de comer chocolate e assim em cada uma é como se aqui estivesses tu a comer e agora já não sei e penso nisso enquanto bebo um chá porque está frio e me apetece esperar pela noite aqui a olhar a porta a imaginar que chegas vestida de mãe natal e vens ajudar-me a fazer a arvore minúscula como no ultimo natal que passamos juntos os dois enquanto o amor existia em nós e a estrela polar que continua no mesmo sitio nos indicava o norte e o caminho de casa e éramos felizes e agora só sou meio feliz porque te penso feliz lá para além das estrelas todas que ainda vejo nas noites que passo sem sono em claro a ver se cai uma cadente a quem possa pedir um desejo pequeno possível de realizar porque só os pequenos desejos se podem realizar eu sei porque todos os outros são sonhos e os sonhos são desejos impossíveis e eu enquanto bebo a ultima chávena de chá no mesmo serviço velho que é o único que conservo penso em ti e em mim e dói-me a cabeça e está frio e sinto a falta que me fazes…

João marinheiro Dezembro 2007
Fotografia de Barcoantigo 2007

13 comentários:

nena disse...

..ahhh..és tão bonito my beautiful flawer in the country..e também tenho sentido a tua falta,..falta desses dedos maravilhosos que escorrem palavras de amor e paixão eternos, palavras translucidas de saudades cálidas desse teu mar revolto e abundante..meu doce poeta..meu coração azul, minha gaivota do céu.
impossivel ficar-te indiferente..
beijos mil..(e mais um)

Andreia Ferreira disse...

Sim, a falta dói nos dedos, na cabeça, nos ouvidos, nos olhos.

_____

Beijinho. A.

M. disse...

Começo a aperceber-me que em determinadas alturas em que os sentires são mais intensos, algo acontece à pontuação.. esvai-se. Como se esvaem as palavras da tua pena. E o resultado é estrondoso.

Abraço forte meu querido

*

Maria disse...

Leio-te de um fôlego quase sem respirar e penso que há situações tão idênticas ou são apenas a imaginação a funcionar mas acho que não e como tu dizes ficamos sempre à espera que apareça ou uma estrela ou qualquer outra coisa que nos diga que ainda é possível ver-TE e depois dói a cabeça de tanto pensar amar e ainda o frio que nos tolhe os dedos e a escrita sai assim de rompante um dia ela vem eu sei João um dia vêm e nós seremos enfim felizes por inteiro e não pela metade um dia........

Abraço-te, sem ler o que escrevi... (para não apagar)

marta disse...

"me apeteciam as tuas mão nas minhas tão cansadas a tua voz na minha voz tão rouca de te falar baixinho" - adorei este pedacinho.

Um texto de nos retirar o ar. Muito bonito.

Beijo
Marta- conto aqui

Bichinho disse...

Falta me fazes...beijo fantasma.

© Piedade Araújo Sol disse...

João

PAsso e já nem comento, não preciso.

As palavras nada significam quando o tema é a saudade e quando tu a defines tao bem.

beijo de amizade da

Pi

isabel mendes ferreira disse...

dor candente.


tocante.



deixo um abraço. eventualmente para pores a navegar no teu mar. especial.

Crystal disse...

(ternura?)

Berta Helena disse...

Tenho passado por cá muitas vezes. Silenciosamente, é verdade. Talvez por esta razão: a beleza da sua escrita deixa-me um pouco intimidada. Mas hoje deixo rasto e digo-lhe: gosto muito do que escreve, gosto do seu blog.
E gostei que me tivesse visitado. Espero que volte.

Fly disse...

Olá João!
Vim aqui parar ao seu blog por mero acaso, por causa duma busca de imagens.
Não pude deixar de ler este texto, e outro e outro ainda.
A sua escrita transborda sensibilidade.
Já lhe devem ter dito milhares de vezes, mas não posso deixar deixar de o fazer: Parabéns pela forma como escreve, como deixa fluir a Alma sob a forma de Palavras.

Fica o convite para a visita ao meu cantinho.
Será muito bem vindo. Eu hei-de voltar aqui!

http://sarrabeca.blog.com

isabel victor disse...

tocante ...

muito
muito

grata pela visita e pelas palavras

abraço

Sailor Girl disse...

Vai beber um copo co'a malta qu'isso passa!!!!
LOOOL